segunda-feira, 18 de novembro de 2019

OS CANSADOS DO RIBEIRO DE BESOR!



Robinson L Araujo[1]


O referido ribeiro é mencionado em I Samuel, no seu capítulo 30 e muitas vezes, nas leituras, acaba passando despercebido. O fato que o ribeiro existe e algo de muito importante aconteceu ali que, em dias atuais, acaba por acontecer também. O que se precisa é evitar o julgamento.

Por um "erro" de Davi, ele convoca seu exército para acompanhar os filisteus na batalha contra Saul e o povo de Israel. Porém, acaba sendo repreendido pelos comandantes do Rei Aquis, veja:
3. Então os comandantes filisteus perguntaram: “O que estes hebreus fazem aqui?”. Aquis respondeu: “Este é Davi, servo do rei Saul, de Israel. Já faz tempo que está comigo e, desde o dia em que chegou até hoje, não encontrei nele nenhuma falta”.
4. Mas os comandantes filisteus se iraram. “Mande-o de volta para a cidade que o senhor deu para ele!”, exigiram. “Não pode ir à guerra conosco. E se ele se voltar contra nós na batalha e se tornar nosso adversário? Existe maneira melhor de ele se reconciliar com seu senhor do que entregando-lhe nossa cabeça? (I Samuel 29:3-4).

Após uma conversa do Rei Aquis com Davi, ele volta para sua casa com seus homens e acaba por encontrar uma situação um quanto desastrosa:
1. Três dias depois, quando Davi e seus homens chegaram à cidade de Ziclague, viram que os amalequitas haviam invadido o Neguebe e atacado Ziclague; tinham destruído e queimado a cidade.
2. Não mataram ninguém, mas tomaram como prisioneiros as mulheres, as crianças e os demais e foram embora. (I Samuel 30:1-2).

Não se poderá julgar a ação de Davi em querer lutar contra seu próprio povo. Mas, o que se vê aqui, é que, por muitas vezes, deixa-se de pedir orientação a DEUS para que Ele guie os planos e desejos do coração, passando a confiar em si mesmo (a). Quando se passa a confiar nas próprias forças e vontades, acaba-se frustrado como Davi e seu exército, tendo que voltar para casa, onde a energia é gasta e o cansaço repousa sobre o corpo, a mente e a alma e, por muitas vezes, no próprio espírito.

A solução é fazer certo aquilo que Davi fez de errado. Ele não orou! Faça o contrário, seja rápido em orar. Pare de conversar consigo mesmo, converse com Jesus Cristo, procure um bom conselho e não desista, afirma Lucado (2017).

Ao chegarem a Ziclague, local de moradia, encontram um cenário nada animador, como descrito. A cidade está destruída! "Quando Davi e seus homens viram a cidade queimada e se deram conta do que havia acontecido com suas mulheres, seus filhos e suas filhas, lamentaram e choraram em alta voz até não aguentar mais". (I Samuel 30:3-4).

O comandante fez a escolha errada, em virtude da falta de oração e busca da direção de DEUS sobre a vida dele e dos que com ele estavam. Seus guerreiros voltam-se contra ele: "Davi ficou muito aflito, pois os homens estavam amargurados por terem perdido seus filhos e suas filhas e começaram a falar em apedrejá-lo". (Verso 6a).

Talvez Davi, estivesse vivendo seu pior momento em sua vida, aqueles homens que o haviam escolhido como líder, se voltam contra ele em virtude de uma escolha errada pois, se não tivessem saído na batalha, nada daquilo poderia ter acontecido, resmungam eles...
Davi toma a decisão correta em sua vida, no verso seis, no final, ele encontra forças no Senhor, seu DEUS. Ele busca a direção de DEUS, Ele deixa a sua força e deposita em DEUS, tanto para saber o que fazer, como para se animar e encontrar forças para encarar a própria morte, até por achar que morreria apedrejado pelo seu exército.

Como é essencial aprender a fazer o mesmo! Sistemas de apoio nem sempre apóiam. Amigos nem sempre são amigos. Pastores podem se desviar do essencial e as igrejas perdem o contato. Quando ninguém pode ajudar, tem-se que fazer o que Davi fez. Ele se VOLTA para o Senhor!

No verso 8, Davi pergunta: "Davi perguntou ao Senhor: “Devo perseguir esse bando de saqueadores? Conseguirei apanhá-los?”. E o Senhor lhe respondeu: “Sim, vá atrás deles. Certamente conseguirá recuperar tudo que foi tomado de vocês”.

Imediatamente, convictos da resposta de DEUS sobre eles, dando uma direção certa e definida, se levantam e parte: "Davi e os seiscentos homens partiram e chegaram ao ribeiro de Besor, onde ficaram alguns deles. (verso 9).

Aqui é onde se é preciso chegar! É no ribeiro de Besor que algo bastante "estranho" acontece. Dos seiscentos homens que partem com Davi, duzentos assumem que estão cansados e não podem prosseguir a busca de seus familiares, veja: "Duzentos dos homens estavam exaustos demais para atravessar o ribeiro, e Davi continuou a perseguição com quatrocentos homens". (verso 9).

Quem é que não cansa a exaustão diante de uma jornada? Pessoas ficam cansadas em dias atuais ao viajarem de carro, ônibus, avião... Eles, diferente de hoje, viajam a pé ou em lombos de camelos. A fadiga física e psicológica pelo que encontraram: cidade saqueada e queimada e os familiares sequestrados! É pra deixar qualquer um para baixo.

Muito importante o que Lucado (2017, p. 76) acaba por exortar:
Até que ponto uma pessoa precisa ficar cansada para abandonar a busca de sua própria família?
A igreja tem seu quórum de tais pessoas. Pessoas boas. Pessoas tementes a DEUS. Há apenas horas ou anos, elas marchavam com muita determinação. Mas agora, a fadiga as consome. Elas estão exaustas. Tão esgotadas e cansadas que não conseguem reunir forças para salvar os do mesmo sangue. A idade avançada roubou-lhes o ar. Ou talvez tenha sido uma série de derrotas de tirar o fôlego. O divórcio pode levá-lo ao ribeiro, o vício também. Seja qual for a razão, a igreja tem uma cota de pessoas que simplesmente se sentam e descansam.
E a igreja precisa decidir. O que vamos fazer com as pessoas que estão n ribeiro de Besor? Devemos repreendê-las? Devemos humilhá-las? Devemos dar-lhes um descanso mas contar os minutos? Ou fazemos o que Davi fez, deixou que ficassem.

Davi e seus outros quatrocentos guerreiros foram e venceram o inimigo. Uns foram mortos, outros simplesmente fugiram. Os despojos são recuperados. As mulheres e crianças foram libertas e conduzidas para seus maridos, pais, familiares... Existe um problema: crianças não encontram seus pais, mulheres não encontram seus esposos. Motivo? Ficaram descansando no ribeiro de Besor. Que decepção! Que angústia! Talvez, surgiu aquela voz dizendo: "covardes"!

Realmente, existem pessoas que julgam as outras por não terem o mesmo "pique" que elas e, acabam achando que aquelas que ficaram, não possuem direito algum, que toda honra e glórias deve ser direcionada a ela pois, quem lutou foi ela.

Aqueles quatrocentos não agiram diferentes, veja: "Contudo, entre os que tinham acompanhado Davi havia alguns homens perversos que disseram: “Como eles não foram conosco, não devem receber nada dos despojos que recuperamos. Devolvam as esposas e os filhos deles e mandem todos embora”. (verso 22).

Quando uma decisão é direcionada por DEUS, não existem falhas, ou fracassos, ou o julgamento por aqueles que se acham cansados e decidem ficar no caminho. Davi chama atenção daqueles que reclamaram, veja I Samuel 30:23-24:
23. Davi, porém, disse: “Não, meus irmãos! Não sejam egoístas com aquilo que o Senhor nos deu. Ele nos guardou e nos ajudou a derrotar o bando de saqueadores que nos atacou.
24. Quem lhes dará ouvidos quando falam desse modo? Dividiremos igualmente entre os que foram à batalha e os que guardaram a bagagem”.

O interessante que aqueles soldados que ficaram em momento algum pediram para guardar as bagagens. Eles informaram que estavam exaustos e por isso, não avançariam. Mas, Davi, cheio do amor de DEUS, adverte: os que "guardaram a bagagem" - como se fosse o trabalho deles, não estavam apenas deitados, eles estavam guardando o restante da bagagem, existia um ofício na vida deles.

Quantas pessoas poderiam fazer o mesmo. Estão cansadas demais para reclamarem de seus direitos. Enquanto outras declaram vitória, os cansados ficam sentados em silêncio. Davi honrou os soldados cansados no ribeiro de Besor!

Quantos hoje não estão sentados junto ao ribeiro de Besor? Se você se acha na lista dos que estão sentados, aqui está o que você precisa saber: não há problema algum em descansar. Jesus é o seu Davi. Ele tem dado um ofício para você. Não pode ir por estar cansado? Onde você estiver, podes orar, contribuir, incentivar...

O Senhor não fica "zangado" ou "furioso" com você. Ele age diferente. Ele luta quando você não pode lutar. Ele vai onde você não pode ir. Ele não fica nervoso se você ficar cansado. O convite dEle é: " Jesus lhes disse: “Vamos sozinhos até um lugar tranquilo para descansar um pouco”, pois tanta gente ia e vinha que eles não tinham tempo nem para comer. (Marcos 6:31).

Sendo assim, o forte não critique o que ficou. O que está cansado não fale daquele que vai. O que se deve acreditar é que o ribeiro de Besor é um lugar para todos aqueles que se achegarem até ele. O ribeiro de Besor pode ser comparado como os braços do Pai, onde há renovo e vida.

Que DEUS nos leve a caminhar em Vida Plena!



BIBLIOGRAFIA
LUCADO, Max. DERRUBANDO GOLIAS. Rio de Janeiro: Thomaz Nelson Brasil, 2017.

Bíblia NOVA TRADUÇÃO TRANSFORMADORA. Disponível em: <https:\\www.bibliaonline.com.br/nvt>. Acessado em 15 nov. 2019.





[1] Pastor - e-mail: robinson.luis@bol.com.br

sexta-feira, 15 de novembro de 2019

A INTELIGÊNCIA E BELEZA DE ABIGAIL, COMPARADOS AO AMOR DE JESUS CRISTO.



Robinson L Araujo[1]


INTRODUÇÃO

Quando se adentra ao livro de I Samuel, mais precisamente no capítulo 25, é possível encontrar o registro da história que envolve a tríade: o casal (Nabal e Abigail) e um homem com sua tropa (Davi). Dentro do ocorrido, é possível observar no oculto, o que um Homem faria por amor para com a humanidade após mil anos do fato ocorrido no deserto de Maom.


1. O CONTEXTO

Para que se possa estar inserido no contexto, vejamos o que os versos 2 e 3  afirma:
2. Havia um homem rico em Maom, que tinha propriedades perto da região do Carmelo. Possuía três mil ovelhas e mil cabras, e era época da tosquia das ovelhas.
3. O homem se chamava Nabal; sua esposa, Abigail, era uma mulher inteligente e bonita. Mas Nabal, descendente de Calebe, era um homem rude e perverso em tudo que fazia.

Começa-se a descrição de Abigail, esposa de Nabal, uma mulher inteligente e bonita. Uma mulher que consegue chamar a atenção de um exército, principalmente de seu comandante que no momento, está furioso, espumando vingança, em virtude da dureza do coração de um homem tolo.

Davi estava com seu exército no deserto de Maom, próximo a propriedade de Nabal. Sendo assim, indiretamente acabava cuidando dos pastores e rebanho do mesmo, fato narrado pelos servos de Nabal nos versos 15 e 16. Veja:
15. Os homens de Davi foram muito bons conosco e nunca nos fizeram mal. Nada foi roubado de nós durante o tempo em que estiveram conosco no campo.
16. Na verdade, dia e noite eles foram como um muro de proteção para nós e para as ovelhas.

Como indiretamente Davi e seu exército faziam a segurança dos funcionários e animais de Nabal e de sua propriedade, quando da colheita e tosquia das ovelhas, o comandante sabendo do que estava acontecendo, verso 4: "Quando Davi soube que Nabal estava tosquiando as ovelhas", envia dez de seus homens e faz um pedido, descrito no verso oito: "Diante disso, pedimos que o senhor seja bondoso conosco, pois chegamos numa época de celebração. Por favor, reparta conosco e com seu amigo Davi o que puder dos seus mantimentos’”.

Como informado por Davi através de seus guerreiros que foram ao encontro de Nabal, durante toda a sua presença e de seu exército nas proximidades da propriedade do homem, nunca subtraíram nada para que pudessem consumir, explicito no verso 7: "Enquanto seus pastores estiveram entre nós perto do Carmelo, nunca lhes fizemos mal, e nada foi roubado deles".


2. NABAL

Diante do pedido de Davi, passa-se a conhecer a natureza do coração de Nabal. Um homem rude e mau, descendente de Calebe (verso 3), é um homem tão mau que ninguém consegue conversar com ele (verso 17). Um homem que não possuía relacionamentos, por não conhecer uma pessoa que não pudesse se irritar ou um relacionamento que não pudesse estragar. O problema dele era que o seu mundo girava em torno de si mesmo. Ele não devia nada a ninguém e ria da idéia de dividir coisas com quem quer que fosse (LUCADO, 2019).

É necessário que se faça uma introspecção para saber o que está enraizado no coração - dentro da alma - atrapalhando os relacionamentos, como afirma Lucado (2017, p. 60):
Egoísmo, ódio e orgulho - você não precisa ir a um campo de prisioneiros de guerra para encontrá-los. Um albergue..., a sala de reunião da diretoria de uma empresa ou o quarto de um casal... Cada um por si. Agarre o que puder e guarde tudo o que agarrar. A sobrevivência dos mais aptos.
O código contamina seu mundo? Os pronomes possessivos pessoais dominam a linguagem do seu circulo social? Minha carreia, meus sonhos, minhas coisas. Quero que a coisa seja do meu jeito no meu tempo...

Esse era Nabal, um homem que pensava somente em si mesmo e em suas coisas, "meus bens". Veja os versos 10 e 11:
10. “Quem é esse tal de Davi?”, perguntou-lhes Nabal. “Quem esse filho de Jessé pensa que é? Hoje em dia, há muitos servos que fogem de seus senhores.
11. Devo pegar meu pão, minha água e a carne dos animais que abati para meus tosquiadores e entregar a um bando que vem não se sabe de onde?” (Grifo do autor).

Por vezes, os pronomes possessivos acabam por provocar: a inveja, o ódio, a desagregação entre pessoas. Não diferente da natureza humana, quando aceitou ser enganado pelo pecado, querendo pela proposta do maior inimigo do Criador, ser igual ao Dono da vida: “DEUS sabe que, no momento em que comerem do fruto, seus olhos se abrirão e, como DEUS, conhecerão o bem e o mal.” (Gênesis 3:5). Aceitando os pronomes possessivos pessoais para sua vida e afastando a todos da comunhão com DEUS - "Pois todos pecaram e não alcançam o padrão da glória de Deus". (Romanos 3:23).

Martirizado pela ignorância de Nabal, Davi marcha para destruir a casa de Nabal. Conclama quatrocentos de seus guerreiros e partem, enfurecidos, para matar todos do sexo masculino. Um desastre! Verso 13: "Peguem suas espadas!”, disse Davi, e pôs sua espada à cintura, e seus homens fizeram a mesma coisa. Quatrocentos deles partiram com Davi, enquanto duzentos ficaram para guardar a bagagem".


3. UMA MULHER SÁBIA

Avisada pelos funcionários de seu esposo, Abigail sabe da importância do momento. Aqui figurando como ultima barreira entre sua família e a morte certa. Sabiamente se antecipa e prepara um farto banquete para Davi e seu exército, como afirma o verso 18: "Sem perder tempo, Abigail providenciou duzentos pães, duas vasilhas de couro cheias de vinho, cinco ovelhas preparadas, cinco cestos de grãos tostados, cem bolos de passas e duzentos bolos de figo. Colocou tudo em jumentos".

A Palavra do Senhor afirma: "A mulher sábia edifica o lar, mas a insensata o destrói com as próprias mãos". (Provérbios 14:1). A atitude dela foi de uma mulher ousada e fadada na proteção de seu lar! Os versos de 23 a 28, diz:
23. Quando Abigail viu Davi, desceu depressa do jumento e se curvou diante de Davi com o rosto em terra.
24. Caiu a seus pés e disse: “A culpa é toda minha, meu senhor! Por favor, ouça o que sua serva tem a dizer.
25. Nabal é um homem perverso; não dê atenção ao que ele disse. Ele é um insensato, como seu nome indica. Mas eu nem sequer vi os rapazes que o senhor enviou.
26. “Agora, meu senhor, tenha certeza de que, tão certo como vive o Senhor, e tão certo como a sua própria vida, foi o Senhor que o impediu de matar e se vingar com as próprias mãos!
27. Que todos os seus inimigos e os que procuram matá-lo acabem como Nabal!
Aqui está um presente que sua serva trouxe para o senhor e seus companheiros.
28. Por favor, perdoe-me se o ofendi de algum modo. Que o Senhor lhe conceda uma dinastia duradoura, pois está lutando as batalhas do Senhor. Que Ele o livre de fazer o mal durante toda a sua vida!

É possível ver que Abigail, em momento algum, defendeu Nabal, mas acaba por concordar que ele é um verdadeiro canalha. Ela não pede justiça, mas perdão, aceitando a culpa quando não merece ser culpada de nada. Lembre-se que a beleza e a delicadeza, podem vencer a barbárie!

Davi, imediatamente muda seu comportamento diante da inteligência e beleza daquela mulher que se colocou na brecha entre a fúria de um comandante e o seu lar. Arriscou a sua própria vida! Porém, a delicadeza lhe rende conforto, como explícito nos versos 32 e 33:
32. Davi respondeu a Abigail: “Louvado seja o Senhor, Deus de Israel, que hoje a enviou ao meu encontro!
33. Graças a Deus por seu bom senso! Que você seja abençoada por me impedir de matar e me vingar com minhas próprias mãos.


4.  O MEDIADOR

O amor expressado por DEUS para com o homem, não é diferente do amor de Abigail para com sua casa. Ela se colocou entre Davi e Nabal. Jesus colocou-se entre DEUS e nós. Ela acabou por se oferecer para ser castigada pelos pecados de seu esposo ignorante. Cristo morreu pelos pecados da humanidade.

Lucado (2017) acaba por trazer a semelhança de Abigail e Jesus Cristo, quando expressa que Jesus permitiu que o céu O castigasse pelos pecados da humanidade. Abigail desviou a raiva de Davi. Cristo não serviu de proteção contra a raiva de DEUS?

Jesus se tornou o Mediador entre DEUS e os homens, conforme I Timóteo 2:3-6, que afirma:
3.  Isso é bom e agrada a Deus, nosso Salvador,
4. cujo desejo é que todos sejam salvos e conheçam a verdade.
5. Pois: Há um só Deus e um só Mediador entre Deus e a humanidade: o homem Cristo Jesus.
6. Ele deu sua vida para comprar a liberdade de todos. Essa é a mensagem que foi entregue ao mundo no momento oportuno.

Quem é o Mediador se não aquele que se coloca no meio de algum conflito? E o que Jesus fez, não foi colocar-se entre a raiva de DEUS e o nosso castigo de morte eterna? Ele interceptou a ira do céu!

Romanos 3:24, ainda afirma:
24. mas Ele, em sua graça, nos declara justos por meio de Cristo Jesus, que nos resgatou do castigo por nossos pecados.
25. DEUS apresentou Jesus como sacrifício pelo pecado, com o sangue que ele derramou, mostrando assim sua justiça em favor dos que creem. No passado Ele se conteve e não castigou os pecados antes cometidos,
26. pois planejava revelar Sua justiça no tempo presente. Com isso, DEUS Se mostrou justo, condenando o pecado, e Justificador, declarando justo o pecador que crê em Jesus.

Como uma personificação, por intermédio da vida de Abigail, próximo a mil anos antes do nascimento de Jesus Cristo, DEUS apresenta Seu Filho para que Ele vivesse "a vida que não poderíamos viver e levou o castigo que não poderíamos levar para oferecer a esperança a que não podemos resistir", como afirma Lucado (2017, p. 65).


CONCLUSÃO

É necessário que se faça a seguinte pergunta: Se DEUS nos amou, ao ponto de, como Filho se entregar para todos, não se pode amar uns aos outros? Tendo perdoado, não se pode perdoar ofensas recebidas, muitas vezes em virtude dos pronomes pessoais possessivos?

I João 4:11 afirma que: "Amados, visto que Deus tanto nos amou, certamente devemos amar uns aos outros". É possível que existam Nabal's que o ignore, o despreze, tornando o mundo em que se vive, lugar difícil de suportar? Se há, deixe de encarar a "Nabal", volte seus olhos para Jesus Cristo, olhando mais para o Mediador do que para aqueles que amam fazer intrigas.

Que Ele capacite a cada um a andar em Vida Plena!



BIBLIOGRAFIA

LUCADO, Max. DERRUBANDO GOLIAS. Rio de Janeiro: Thomaz Nelson Brasil, 2017.

Bíblia NOVA TRADUÇÃO TRANSFORMADORA. Disponível em: <https:\\www.bibliaonline.com.br/nvt>. Acessado em 15 nov. 2019.




[1] Pastor - e-mail: robinson.luis@bol.com.br

segunda-feira, 4 de novembro de 2019

VINGANÇA X LIBERDADE DE DEUS!



Robinson L Araujo1

Buscando em minhas leituras, a qual acabo descansando a mente no caminhar das letras, deparei-me com o livro de Max Lacado, intitulado de: “Derrubando Golias”. Um livro formidável e que recomendo a sua leitura.
Em seu capítulo 6, intitulado “Doadores de Sofrimento”, é imprescindível o entendimento de que a vingança pertence a DEUS, devendo nos libertar de qualquer “carcere” que tenta levar nossos pensamentos e mente, a planejar qualquer tipo de vingança contra a pessoa que nos ofendeu, magoou ou mesmo tentou nos destruir pessoalmente ou a quem está perto de nós e amamos.
Confesso que o entendimento é bem fácil pela leitura, porém, colocar em prática é o nosso desafio!
O jovem Davi já ungido Rei sobre Israel, sofria uma perseguição ferrenha do Rei Saul à sua pessoa, ao ponto de fugir, pois o Rei o intentou matar por algumas vezes. Teve que se  passar de louco para não morrer; se refugiou em uma cavernas e teve como amigos os: assassinos, ladrões e pessoas afundadas em dívidas. Talvez afirmássemos que a escória da sociedade estava com Davi.
Por duas vezes, a oportunidade de Davi matar a Saul, esteve a um palmo de sua vontades e desejos, porém, o amor de DEUS que estava sobre ele, o impediu de fazer. A primeira foi quando Saul entra na caverna para fazer suas necessidades e Davi, acaba por cortar um pedaço de sua túnica, vejamos em I Samuel 2:3-5:
3. No lugar onde a estrada passava por alguns currais, Saul entrou numa caverna para fazer suas necessidades. Aconteceu, porém, que Davi e seus homens estavam escondidos no fundo daquela mesma caverna.
4. É sua oportunidade!”, disseram os homens de Davi para ele. “Hoje o Senhor lhe diz: ‘Certamente entregarei o inimigo em suas mãos, para que faça com ele o que quiser’.” Então, com todo cuidado, Davi se aproximou e cortou um pedaço da borda do manto de Saul.
5. Sua consciência, porém, começou a perturbá-lo por ter cortado a borda do manto de Saul.

O segundo episódio está relatado quando Saul junta cerca de três mil homens para achar e matar Davi. Quando o exército de Saul adormece no acampamento, junto com o Rei, Davi têm a oportunidade de executar a vida de Saul, vejamos o que I Samuel 262-9 nos fala:
2. Então Saul escolheu três mil dos melhores soldados de Israel e saiu para perseguir Davi no deserto de Zife.
3. Acampou à beira da estrada, ao lado da colina de Haquilá, junto ao deserto de Jesimom, onde Davi estava escondido. Quando Davi soube que Saul tinha vindo atrás dele no deserto,
4. enviou espiões para confirmar a notícia de que Saul havia chegado.
5. Então Davi foi ao acampamento de Saul para ver o que se passava por lá. Saul e Abner, filho de Ner, comandante do seu exército, dormiam dentro de um círculo formado por seus guerreiros.
6. Quem se oferece para ir até lá comigo?”, perguntou Davi ao hitita Aimeleque e a Abisai, filho de Zeruia, irmão de Joabe. “Eu irei com o senhor”, respondeu Abisai.
7. Então Davi e Abisai entraram no acampamento de Saul à noite e o encontraram dormindo, com a lança fincada no chão, perto da cabeça. Abner e os soldados dormiam à sua volta.
8. Abisai disse a Davi: “Certamente desta vez Deus entregou o inimigo em suas mãos! Agora, deixe-me cravá-lo na terra com um só golpe da lança. Não precisarei de outro!”.
9. Não o mate!”, disse Davi. “Ninguém será considerado inocente se atacar o ungido do Senhor!

O fato que nos chama a atenção é que Davi rejeita a vingança para com Saul, por ser escolhido do Senhor. No verso 10, ele ainda afirma: “Por certo o Senhor ferirá Saul algum dia, ou ele morrerá de velhice, ou na batalha”.
Davi vai um pouco mais longe. Vejamos os versos 23-24 ele afirma: “O Senhor recompensa quem age com justiça e lealdade, e eu me recusei a matar o rei, mesmo quando o Senhor o entregou em minhas mãos, pois é o ungido do Senhor. Agora, que o Senhor considere minha vida preciosa, como hoje considerei preciosa a vida do rei. Que ele me livre de todos os meus sofrimentos.”
Mais uma vez, pensamos nas coisas que promovem dor em nossa própria vida. Uma coisa é transmitir graça aos amigos, mas transmitir graça àqueles que nos causam dor e sofrimento? Com certeza, é muito difícil.
Lembro-me de uma situação que passei, quando fui ofendido e julgado injustamente por uma pessoa. O que eu mais preservava era meu nome, aquela pessoa com seu ódio e fúria, utilizando-se das redes sociais e da própria justiça, acabou por afundar na lama, chamou-me de tudo. Atiçou a minha raiva e fúria... Comecei a não viver mais. A não dormir mais. A ficar doente. Quando um dia, eu resolvi me libertar da vingança que não deveria pertencer a mim, a minha vida mudou. A paz voltou em minha vida e no meu lar.
Lucado afirma que: algumas pessoas parecem ser agraciadas com glândulas de misericórdia. Elas escondem perdão, sem nunca guardar rancor ou revelar suas feridas. Para outras, como nós, é difícil perdoar nossos Saul's.
A vingança faz sua atenção prender-se aos momentos mais feios da vida. A desforra faz seus olhos concentrarem-se em eventos dolorosos de seu passado. É para lá que você quer olhar? Contar e reviver suas feridas fará de você uma pessoa melhor? De forma alguma. Isso irá destruí-lo. Na mente de Davi, ele não via Saul como um inimigo – embora o fosse – mas como ungido. Recusou-se a ver o homem que o fazia sofrer como algo menos que o filho de DEUS. Davi não aprovou o comportamento de Saul ele simplesmente reconheceu o dono de Saul – DEUS. Davi usou a peneira do céu para filtrar os atos de Saul porque sabia que o Rei pertencia ao Senhor e isso, dava esperança a Davi.
O que mais chama a atenção é que nossos inimigos ainda figuram no plano de DEUS. O pulso deles é a prova: DEUS não desistiu deles. Talvez eles estejam fora da vontade de DEUS, mas não estão fora do alcance de DEUS. Você honra a DEUS quando os vê, não como fracassos de DEUS, mas como projetos de DEUS, afirma Lucado;.
Quando o homem tenta fazer justiça com as próprias mãos, acaba usurpando o lugar de DEUS! Somente DEUS determina sentenças exatas. Cabe a Ele a vingança. Sendo assim, descanse e entregue seus inimigos nas mãos dEle.
Ao fazer isso, você não estará endossando a má conduta dele. Podemos odiar o que alguém fez sem se deixar ser consumido pelo ódio. Perdoar não é justificar. Perdoar também não é fingir. Davi não encobriu ou evitou o pecado de Saul. Ele tratou-os de forma direta. Ele não evitou o problema, mas evitou Saul: “Saul voltou ara casa, mas Davi e seus soldados foram para a fortaleza” (I Samuel 24:22).
Perdoar é seguir em frente, não pensar mais na ofensa. Você não justifica, endossa ou aceita o ofensor. Você simplesmente coloca o que pensa sobre ele no caminho que leva para o céu. Você vê seu inimigo como filho de DEUS e a vingança como algo que cabe a DEUS. Seja rápido em mostrar compaixão, mas tardio em aproximar-se.
Deuteronômio 32:35, o Senhor afirma: “A vingança cabe a mim, eu lhes darei o troco; no devido tempo, seus pés escorregarão. O dia da calamidade chegará, e seu destino os alcançará’”.
Ainda Romanos 12:18-19 nos adverte: “No que depender de vocês, vivam em paz com todos. Amados, nunca se vinguem; deixem que a ira de DEUS se encarregue disso, pois assim dizem as Escrituras: “A vingança cabe a Mim, eu lhes darei o troco, diz o Senhor”.

Que o Senhor nos capacite e derrame discernimento, nos livre de nossos carceres da alma, para vivermos em Vida Plena.


FONTES:
LUCADO, Max. DERRUBANDO GOLIAS. Rio de Janeiro: Thomaz Nelson Brasil, 2017.
Bíblia NOVA TRADUÇÃO TRANSFORMADORA. Disponível em: <https:\\www.bibliaonline.com.br/nvt>. Acessado em 04 novv 2019.


1Pastor. E-mail: robinson.luis@bol.com.br